quinta-feira, 13 de março de 2008

Uma Questão De Escolha

...mas livrou Ló, homem justo que se afligia com o procedimento libertino dos que não tinham princípios morais. 2 Pedro 2.7

Havia no corredor de minha casa um quadro com os seguintes dizeres: “A vida logo passará; somente o que é realizado para Cristo permanecerá”. Sem dúvida, esse pensamento tem causado impacto significativo em minha vida até hoje.
Alguns anos atrás, a revista Time relatou a história do governante de um pequeno país do Oriente Médio. Ele era milionário e poderoso, no entanto, a camada socialmente desfavorecida do seu povo jamais recebeu qualquer benefício. Educação e saúde simplesmente não existiam. Ele vivia apenas para si, pensava somente em seu bem estar. Após haver esbanjado o dinheiro público como quis durante anos, esse ditador foi deposto por um golpe de Estado e assassinado. O correspondente da Time definiu assim a vida desse homem: “Ele desapareceu como uma folha murcha levada pela chuva, deixando uma mancha sombria na História”. Oro ao meu Senhor para que estas palavras nunca sejam ditas a meu respeito.
Em 2 Pedro 2. 7, 8, podemos ver a descrição de um homem justo, Ló. Ele foi um homem bom! A Bíblia testemunha esse fato. Merece nosso respeito, pois vivia numa sociedade degenerada e deturpada. Sodoma, onde ele, sua esposa e duas filhas moravam, era uma cidade abastada, onde as pessoas tinham muito tempo para o lazer. Era um lugar caracterizado por toda a espécie de perversão, promiscuidade e permissividade.
Certa vez ele hospedou dois estranhos, que na realidade eram mensageiros de Deus. Como costume da época, eles estavam sob sua proteção.
Uma pequena multidão de cidadãos dominados pela lascívia postou-se frente à casa de Ló e exigia, aos brados, que este os entregasse, para que pudessem praticar toda espécie de perversão sexual com os dois.
Ló, corajosa e firmemente, não os ouviu e negou-se a entregá-los, mesmo colocando em sério risco sua própria família. E, se não fosse pela intervenção miraculosa dos anjos, ele e sua família seriam impiedosamente seviciados.
Deus nos mostra sua vontade para nossas vidas, mas não nos obriga a cumpri-la. Podemos escolher se vamos viver para Ele ou para nós. Como gostaríamos que os outros se lembrassem de nós?

Pense Nisso:
Você tem aproveitado as oportunidades que Deus lhe dá para servir o Reino?

Deus te dê muito ânimo para enfrentar os seus desafios...
Fique em paz.

Paula Beça

Nenhum comentário: